Para o seu bem estar

Saiba qual é a importância do exame preventivo

A manutenção da boa saúde da mulher inclui a realização de um indispensável exame, muitas vezes negligenciado: o preventivo (ou papanicolau). 

Ele deve fazer parte da rotina médica de todas, pois  ajuda a evitar o aparecimento e desenvolvimento de diversos tipos de complicações e problemas de saúde.

Infelizmente, muitas mulheres ainda não dão a devida importância para a regularidade desse exame ou não sabem do que se trata, como funciona e quais são os benefícios e sua importância. 

É essencial que você se conscientize e deixe de lado os tabus, receios e constrangimentos e inclua o papanicolau em sua lista de prioridades, pois sua saúde é o que você tem de mais importante e a saúde íntima não deve ser deixada de lado, afinal, ela pode influenciar em todos os aspectos da sua vida.

Então, se você deseja saber mais sobre o tema, continue lendo a seguir esse guia sobre o preventivo.

O que é o exame preventivo?

Preventivo ou papanicolau, este exame também é chamado de colpocitologia oncótica. Ele é realizado em um consultório ginecológico, com a coleta de uma amostra do material do colo do útero para análise da natureza das células, com o objetivo de, eventualmente, detectar a presença de alterações. 

A coleta é feita de forma rápida, é indolor e simples, podendo causar um leve desconforto em casos onde a mulher possui dificuldades para relaxar a musculatura. 

O material é avaliado em laboratório e o resultado é apurado em até 7 dias. Para realização do exame, é necessário que a paciente não esteja em seu período menstrual e não tenha relações sexuais 48h antes do exame. 

Qual a importância do exame preventivo?

O exame preventivo auxilia no diagnóstico de uma série de irregularidades no aspecto das células do colo uterino. 

Ele é considerado o principal método para se obter diagnóstico precoce de lesões cancerígenas no colo do útero, antes mesmo que o quadro evolua o suficiente para surgirem sintomas notáveis. Quando as chamadas lesões precursoras, que antecedem o aparecimento efetivo da doença, são detectadas, as chances de reversão e cura do quadro são de 100%.

O exame também auxilia no diagnóstico de outras questões, sendo elas:

  • Alterações no colo do útero ocasionadas pelo HPV (lesões internas);
  • Infecções e inflamações vaginais;
  • Doenças sexualmente transmissíveis que não manifestam sintomas.

Exames associados

Em paralelo ao preventivo, pode fazer parte do procedimento médico a solicitação de exames de imagem como a Ultrassonografia Transvaginal, que é feita para a avaliação das estruturas pélvicas. Serve para observar útero, endométrio, ovários, trompas uterinas, etc.

Por meio dessa ultrassonografia, é possível visualizar e identificar possíveis anormalidades ou alterações nessa região. 

É um dos principais exames associados ao diagnóstico de endometriose, pólipos endometriais, miomas, gravidez nas trompas ou fora da cavidade do útero, tumores de ovários, entre outras condições. E é através desses exames e diagnósticos que podem ser solicitados tratamentos com medicamentos ou cirurgia laparoscópica, por exemplo. 

Quem deve fazer o preventivo?

Mulheres que têm uma vida sexual ativa devem realizar o exame preventivo uma vez ao ano, principalmente aquelas entre a faixa etária dos 25 aos 59 anos. 

Caso o resultado do exame indique alguma irregularidade, o preventivo pode passar a ser feito de seis em seis meses, para acompanhamento do quadro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.